sábado, 2 de junho de 2007

... o tempo..........

[Lisboa - Belém, 1 de Junho de 2007, FF]

"O tempo passava lentamente.
O tempo passava ainda mais lentamente nas nossas vidas.
O tempo passa depressa quando queremos sentir cada instante.
O tempo passa lentamente quando se espera.
O tempo passa ainda mais lentamente quando já não se espera nada,
quando já não há nada a esperar."
Uma Casa na Escuridão by José Luís Peixoto

3 comentários:

Brain disse...

E quando já não há mais nada a esperar, é porque cheguei ao fim.
Cheguei ao fim de algo.
E como tal, olho em frente e traço um novo objectivo, bem lá no fundo do horizonte.
E então, traço as linhas mestras da minha actuação para o conseguir e mobilizo tudo para o alcançar, porque...

"Porque a minha vontade tem o tamanho de uma lei da terra.
Porque a minha força determina a passagem do tempo.
Eu quero.
Eu sou capaz de lançar um grito para dentro de mim, que arranca árvores pelas raízes, que explode veias em todos os corpos, que trespassa o mundo.
Eu sou capaz de correr através desse grito, à sua velocidade, contra tudo o que se lança para deter-me, contra tudo o que se levanta no meu caminho, contra mim próprio.
Eu quero.
Eu sou capaz de expulsar o sol da minha pele, de vencê-lo mais uma vez e sempre.
Porque a minha vontade me regenera, faz-me nascer, renascer.
Porque a minha força é imortal."

(eu sei que conheces isto)

E pelo que conheço de ti...
Estas palavras devem assentar-te "que nem uma luva".
Assim tu o queiras!

Beijo.

.*.Magia.*. disse...

Lentamente vivo!
Depressa espero!
O instante... senti!

Higino disse...

Jardim colonial, será?