quarta-feira, 24 de junho de 2009

Se uma gaivota viesse...

[Baleal, Junho de 2009, FF]

"Se uma gaivota viesse
trazer-me o céu de Lisboa
no desenho que fizesse,
nesse céu onde o olhar
é uma asa que não voa,
esmorece e cai no mar.
(...)
Se um português marinheiro,
dos sete mares andarilho,
fosse quem sabe o primeiro
a contar-me o que inventasse,
se um olhar de novo brilho
no meu olhar se enlaçasse. "

Projecto Amália Hoje

5 comentários:

ams disse...

Gosto muito deste poema do Alexandre O'Neill. A foto está com muito movimento e dinâmica.
Gostei!

Mαğΐα disse...

Andas mesmo a precisar de voar para longe do teu céu! (digo eu!)

Mαğΐα disse...

Trouxe isto para te oferecer:
Toma lá!

Sou livre.
Fecho os olhos e penso com toda a minha força na minha nova condição.
Ainda que não esteja bem certo do que significa.
Tudo o que sei é que estou completamente sozinho.
Desterrado numa terra desconhecida, como um explorador solitário sem bússola nem mapa. Será isto a liberdade?
Não sei, confesso, e às tantas desisto de pensar nisso.

Haruki Murakami

Mαğΐα disse...

Vim aqui e não há nada de novo?!

Sendo assim estás a dever-me mais 20€ do taxi!

50€ + 20€ = (é só fazeres as contas)

O meu nib é: 000011223u83yu2y8i1


:P

lampâda mervelha disse...

Já te disse que gosto do teu olhar?

Pois é!