sábado, 12 de maio de 2007

Pé descalço

[Baleal, FF]

O meu passo pode até nem ser o certo..

Mas, ao menos arrisco no descalço!

Sei o meu número!


4 comentários:

POETA VAGABUNDO disse...

só tu...
beijo vagabundo

POETA VAGABUNDO disse...

o gajo nao sabe cantar mas escreve mesmo bem hehehe

Brain disse...

Estranha, hoje em duas partes:

1ª Escrito
O compasso do nosso passo, só tem de ser certo para nós próprios.
E quem quiser (e puder) que nos acompanhe, porque se não o conseguir, é porque nos está a atrasar.
E nós podemos permitir-nos a tudo, excepto: Ficar em atraso para com a vida.
Posso até parecer radical, mas é uma convicção de vida minha!

E que melhor maneira de o fazermos senão descalços de tudo e com o melhor de nós próprios?(!)

Sabes o teu número! EXCELENTE!
Sabes de ti!

2ª (e pela primeira vez) a música
O título só por si, vale a sua divulgação, mas o resto da lírica não fica atrás.
Sou um apreciador da escrita do Pedro, assim como da música.
O concerto "intimidade" eu costumo designá-lo como "recital de poesia acompanhado por música".

Quanto à tua escolha da música, só te digo que não a estranho, pois "encaixa" na perfeição.
Mas se calhar... em quem não encaixa, não é?

Beijo.

Teresa Durães disse...

aplaudo!!

também sei o meu número, nele cabem também os pés dos filhos. o meu passo pode não ser o certo mas alinha com outros.